Consumismo infantil: como lidar com essa questão?
Escolha como quer aprender:

O consumismo infantil pode ser um inimigo silencioso nas famílias, e lidar com essa situação requer alguns cuidados. Confira dicas de especialista para resolver essa questão.

O consumismo infantil está diretamente conectado com o nosso dia a dia, já que o apelo para o consumo desenfreado atinge também as crianças. 

Hoje, a grande oferta de conteúdos e de anúncios voltados para os pequenos fazem com que eles queiram cada vez mais coisas. Com isso, muitas crianças - que estão em fase de desenvolvimento -  crescem convivendo com a motivação frequente da compra urgente, ou sem necessidade

Se não houver interferência, o consumismo infantil pode levar à complicações no relacionamento familiar, dificuldades de interação com outras crianças e a falsa ideia de que o poder é proporcional ao que as pessoas possuem.

Lidar com essa questão e evitar que as crianças se tornem adultos consumistas requer esforços, e um deles é entender o que é e quais são as consequências do consumismo infantil.
 

O que é consumismo infantil?

Podemos definir o consumismo infantil como a necessidade das crianças comprarem de forma exacerbada. Uma das formas de notar que os filhos estão tendo problemas de consumismo é observar o seu comportamento.

Regina Alvares, educadora, terapeuta e especialista em educação financeira, aponta que a causa frequente do consumismo infantil é a percepção errônea de que, para ser uma pessoa legal e interessante, é preciso ter certas coisas. “Muitas vezes, o consumismo surge quando a criança passa a associar que ter é melhor que ser. Com isso, ela solicitará cada vez mais novas compras”, alerta Regina.

A especialista também sugere que os próprios responsáveis podem incentivar esse tipo de visão: “Se a criança está triste, nervosa ou irritada e, num passe de mágica, surge um brinquedo, uma roupa ou um livro novo, por exemplo, ela pode entender que, para ter seu sentimento ruim recompensado, precisa adquirir novos produtos”, explica a educadora.
 

Como combater o consumismo infantil?

Evitar as consequências do consumismo na vida das crianças é vital para o desenvolvimento saudável delas. Para isso, os pais devem se esforçar para mudar alguns maus hábitos. 

Uma boa dica de Regina é que os adultos não substituam a sua ausência com objetos, roupas e brinquedos, pois isso pode ser um gatilho que impulsiona o desejo de gastar. 

Além disso, ela orienta que a família estabeleça um limite de compras e seja firme ao negar pedidos desnecessários. “Comprar não significa aplacar o desejo de consumo. Crie momentos específicos para presentear, evitando o impulso de comprar”, orienta Regina. 

Por fim, a educadora também acredita que a identificação da emoção das crianças é um caminho para o consumo consciente. Afinal, quanto mais os pais souberem entender os sentimentos dos filhos, mais fácil será lidar com eles de uma forma eficiente - e que não dependa do consumo.
 

Leia também Você é um consumidor compulsivo? Conheça 5 sinais de quem compra por impulso
 

Crianças aprendem com exemplos

Além dessas mudanças de costumes diretamente ligados ao tratamento das crianças, para lidar com o consumismo infantil também é necessário que os pais estejam dispostos a trabalhar o seu próprio consumismo. 

Como as crianças são facilmente influenciadas, precisam ter como exemplos pessoas que tenham um relacionamento saudável com o dinheiro. 

Para Regina, existem pequenos gestos dos pais que podem importar para o comportamento das crianças. “Não podemos perder de vista que a melhor maneira de orientar sobre o consumo é consumir com responsabilidade. Um exemplo disso é envolver a criança na elaboração da lista de compras, para que elas identifiquem o que já possuem, o que de fato precisa ser comprado e qual o orçamento disponível. Assim, elas poderão entender o real valor de um produto e reconhecer aquilo que já têm”. 

Outra sugestão da especialista para tratar o consumismo infantil é que os pais proporcionem momentos prazerosos que não tenham foco nas compras. Pode ser, por exemplo, um passeio econômico com a criança para mostrar o prazer de estar com quem amamos, fazendo o que se gosta e sem ter que gastar.
 

A paciência e a persistência são fundamentais 

Os pais e responsáveis precisam ter paciência e amor se desejam criar adultos que não sejam consumistas. 

Na maioria das vezes, as crianças não vão entender as mudanças e nem se sentirão confortáveis em fazê-las. Portanto, essa transformação requer tempo, consistência e muita conversa. 

Esteja ciente de que esse processo não acontecerá da noite para o dia, e que as crianças podem utilizar algumas formas de atingir os adultos, fazendo birras, por exemplo.
 

Esses são pequenos passos diários, mas que, futuramente, serão muito importantes na vida dessas crianças, evitando endividamentos, dificuldades de relacionamento e o estresse. 

Continue acompanhando o blog do Cartão Carrefour para ficar por dentro de mais dicas de educação financeira.

CARTÃO
Não perca tempo! Peça já seu cartão!
Mais artigos para você
Subtítulo