Pular para o conteúdo

Vacinação: pandemia aumenta importância de se vacinar contra gripe

Vacinação: pandemia aumenta importância de se vacinar contra gripe

Informações sobre o Coronavírus (COVID-19)

9 Apr 2020

Vacinação: pandemia aumenta importância de se vacinar contra gripe

Embora ainda não exista uma vacina para o coronavírus, se imunizar contra a gripe é importante para evitar a sobrecarga nos hospitais e limitar a circulação do vírus Influenza no país.

Escolha como quer aprender:

Enquanto cientistas e profissionais da saúde do mundo todo correm contra o tempo para desenvolver uma forma eficaz de imunizar a população contra o coronavírus (COVID-19), fica ainda mais clara a importância de tomar a vacina para gripe.

Apesar de não evitar o contágio pelo coronavírus, o governo antecipou a campanha de vacinação contra a gripe porque ela tem um papel muito importante na proteção à saúde pública.

A seguir, vamos esclarecer as principais dúvidas sobre a vacina contra a gripe e explicar por que você deveria tomá-la.

 

Por que se vacinar contra a gripe?

A vacina que existe hoje, e que está disponível para evitar a propagação da gripe, é uma solução que age contra o vírus Influenza (responsável pela H1N1, Influenza B e H3N2), e não contra a COVID-19.

Porém, se proteger da Influenza pode ajudar a combater as consequências do coronavírus por alguns motivos.

 

  • Desafogar o sistema de saúde

Todos os anos temos milhares de casos de gripe que precisam de assistência médica e até de internação.

Porém, em 2020, o coronavírus deve tomar uma parte dos leitos do país e impedir que outras enfermidades – com as causadas pelo vírus Influenza – sejam tratadas como deveriam.

Pensando nisso, quando as pessoas se vacinam contra a gripe, reduzimos drasticamente o nível de brasileiros com outras doenças e evitamos uma sobrecarga nos hospitais.

 

  • Facilitar o diagnóstico

Os sintomas da COVID-19 são muito parecidos com os de uma gripe e de outras doenças respiratórias. Mas, se o paciente já tiver recebido a vacina contra a Influenza, a equipe médica pode descartar as doenças causadas por esse vírus.

Considerando que os resultados para o coronavírus têm demorado dias e até semanas para sair, eliminar a possibilidade de o paciente estar gripado é uma ajuda e tanto para os profissionais de saúde.

 

  • Evitar um novo surto

Se a estrutura de saúde já está sobrecarregada com a pandemia de coronavírus, imagine como ficará nosso sistema se houver, também, um surto de Influenza! Não podemos correr esse risco.

Para evitar que a transmissão da gripe se torne um segundo problema com o qual vamos ter que lidar, a vacinação é a melhor alternativa.

 

  • Diminuir as complicações

Existe a possibilidade de uma pessoa se infectar com Influenza e coronavírus ao mesmo tempo.

Nesse caso, a interação das duas doenças pode gerar complicações sérias e prejudicar, principalmente, quem está no grupo de risco – como idosos, hipertensos, diabéticos e pessoas que sofrem de doenças respiratórias.

Felizmente, a vacina contra a gripe diminui as chances de que os dois vírus coexistam no nosso sistema.

 

Quem deve se vacinar?

Atualmente, a campanha de vacinação está focada nos brasileiros que fazem parte do grupo de risco.

Entretanto, a imunização contra a gripe é indicada para a população em geral, não só como forma de evitar formas mais graves das doenças, mas de refrear a transmissão da Influenza.

 

A vacina é segura?

As vacinas são consideradas seguras e eficazes para a maioria da população. Caso tenha alguma deficiência de imunidade ou já tiver apresentado reações sérias a outras vacinas, informe a equipe médica antes da aplicação.

 

Quando se vacinar?

A primeira etapa, que contempla a vacinação de idosos e profissionais da saúde, vai até 15 de abril. A segunda fase será focada em atender doentes crônicos, professores da rede pública e profissionais de segurança e salvamento. A partir de 9 de maio, pode-se vacinar crianças, adolescentes, gestantes e puérperas, pessoas com deficiência, indígenas e funcionários do sistema prisional.

A campanha contra a gripe vai até dia 22 de maio.

Importante reforçar mais uma vez que a vacina da gripe só combate indiretamente as consequências do coronavírus e mesmo quem tomá-la não estará protegido da COVID-19.

Por conta disso, não se descuide: continue evitando aglomerações, lave bem as mãos, utilize álcool em gel quando não puder higienizá-las com água e sabão e, se possível, fique em casa!