Pular para o conteúdo

Redução da Taxa de Juros: o que isso impacta no seu consumo

Redução da Taxa de Juros: o que isso impacta no seu consumo

Educação Financeira

Organizar

14 Sep 2020

Redução da Taxa de Juros: o que isso impacta no seu consumo

Como a queda da Selic, a taxa básica de juros da economia, é definida e como impacta o consumidor.

Escolha como quer aprender:

Os juros no Brasil chegaram ao menor nível da história. Em agosto de 2020, a chamada taxa Selic chegou a 2% ao ano. Para se ter uma ideia, em 2016, a Selic estava na faixa de 14% ao ano. Mas e como essa queda dos juros afeta sua vida? Por que o juro menor é comemorado? E por que a taxa de juros que você paga é mais alta?

O Cartão Carrefour vai te explicar tudo isso de um jeito simples, com o mínimo de "economês".

 

Mas o que é a Selic?

Selic é a sigla para Sistema Especial de Liquidação e de Custódia. Nesse sistema, as instituições financeiras registram compromissos de compra e venda de títulos públicos. O Banco Central administra esse sistema para que a taxa de juros nessas trocas entre as instituições financeiras fique no mesmo nível decidido para a Selic naquele período.

Simplificadamente, ela é a menor taxa de juros que as instituições financeiras pagam para captar dinheiro. Elas então repassam esse dinheiro para os clientes na forma de financiamentos e empréstimos. Quando pagam menos para captar, elas podem diminuir a taxa cobrada dos clientes. Se pagam mais para captar dinheiro, costumam cobrar mais para liberar crédito aos clientes. 

Deste modo, o nível da Selic vira uma referência para todas as taxas de juros praticadas na economia e influencia em todas taxas de juros praticadas no país que incidem sobre empréstimos, financiamentos e aplicações financeiras. Você pode entender mais sobre o que é taxa de juros aqui

 

Por que a Selic está caindo? 

O nível da Selic é rediscutido a cada seis semanas pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central, o Copom. O principal fator para a decisão é a inflação.

Se a inflação estiver em alta, a Selic geralmente é elevada para que todas as taxas de juros da economia aumentem. Com juros maiores, o crédito fica mais caro para empresas e consumidores, mas ao mesmo tempo, também incentiva as pessoas a economizar e aplicar o dinheiro poupado porque as aplicações financeiras passam a render mais. Desta forma, empresas e consumidores gastam menos e as lojas param de reajustar os preços porque não encontram compradores. Por isso, o Banco Central tenta impedir o avanço da inflação.

Mas se a inflação está controlada, como ocorre atualmente, o Copom tem espaço para baixar a Selic. E essa redução se espalha para as taxas de juros de toda a economia. Com juros menores, o crédito fica mais barato para empresas e consumidores e as aplicações financeiras rendem menos. Por isso, os consumidores e empresas têm menos estímulo para economizar e mais incentivo para tomar crédito e gastar.

O país comemora a queda nos juros porque as pessoas e empresas podem gastar mais, as lojas vendem mais e mais gente consegue crédito para financiar imóveis e veículos. Além disso, as empresas pagam juros menores para comprar equipamentos, expandir fábricas e abrir filiais. Com isso, contratam funcionários e geram empregos.

 

Por que a taxa das minhas operações financeiras é diferente da Selic?

As instituições financeiras atuam como intermediárias e ganham na diferença entre os juros que pagam para captar dinheiro e os juros que cobram quando concedem crédito.

Existem diferentes modalidades de crédito ao consumidor, como cheque especial, crédito consignado, empréstimo pessoal, cartão de crédito, financiamento de imóveis e de veículos.

Cada modalidade tem um grau de risco diferente para a instituição que concede o crédito. Por exemplo, em um financiamento imobiliário, o risco da instituição que liberou o dinheiro é menor porque o imóvel é uma garantia e pode ser tomado do cliente que não pagar as prestações. Sendo assim, a taxa de juros no financiamento imobiliário é bem mais baixa do que a taxa cobrada no cheque especial, por exemplo, porque o valor está sempre disponível e o banco não tem garantia de devolução do dinheiro.

Por isso, antes de tomar qualquer tipo de crédito, avalie as opções disponíveis e procure as condições mais vantajosas para você. E conte com o Cartão Carrefour para aprender a cuidar melhor do seu orçamento e tomar as melhores decisões financeiras!