Pular para o conteúdo

Ações movimentam economia e comércios locais em comunidades

Ações movimentam economia e comércios locais em comunidades

Informações sobre o Coronavírus (COVID-19)

14 Apr 2020

Ações movimentam economia e comércios locais em comunidades

Conheça algumas estratégias que podem ajudar a dar um gás na economia de comércios de bairros e comunidades.

Escolha como quer aprender:

Projetos que potencializam a economia nas comunidades são essenciais para a autonomia financeira de muitos brasileiros, principalmente em um momento em que o coronavírus afastou boa parte dos trabalhadores de suas atividades.

Considerando que muitos moradores das comunidades são autônomos ou informais, a situação se torna ainda mais delicada.

De acordo com o levantamento "Coronavírus nas favelas", feito pelo Instituto Data Favela, apenas 19% dos moradores de comunidades carentes têm carteira assinada. Cerca de 84% dos entrevistados acredita que a renda vai diminuir, em decorrência dos efeitos da pandemia, e estão aflitos com isso.

Preocupados com esse cenário, projetos sociais em todo o país estão criando ações que, além de facilitar o acesso a serviços e produtos locais, ainda promovem oportunidades de trabalho para quem teve a renda prejudicada.

Destacamos algumas ações que têm feito a diferença para a economia local e que mostram como as comunidades representam um mercado com grande potencial para ser explorado.

Confira e se inspire!

 

Cesta básica digital movimenta comércio

A crise provocada pela pandemia mundial é combustível para que projetos sociais se reinventem. E, pensando na população mais pobre do país, a Gerando Falcões está com uma campanha de arrecadação de cestas básicas digitais.

Nas redes sociais, artistas e influencers vêm auxiliando na divulgação das doações de cestas básicas, que acontecem através de uma plataforma de arrecadação de dinheiro.

O projeto firmou parceria com empresas de cartões de alimentação, possibilitando que mais de 120 mil pessoas possam comprar os alimentos que mais precisam durante o isolamento.

Dessa forma, além de impactar positivamente as famílias de comunidades brasileiras, o projeto irá movimentar o comércio local, uma vez que as compras devem ser realizadas no comércio do bairro.

As doações podem ser realizadas pela iniciativa privada e por qualquer brasileiro no site da Gerando Falcões, sendo possível doar mais de uma cesta básica digital.

 

Doações e sustentabilidade financeira

No Rio de Janeiro, moradores da Cidade de Deus estruturaram a Frente da Cidade de Deus, gabinete de crise para minimizar as consequências da pandemia do novo coronavírus.

A iniciativa é uma resposta à falta de políticas públicas voltadas para os moradores das favelas brasileiras, principalmente em momentos de crise.

Além de arrecadar itens de higiene, alimentação e água, os integrantes do gabinete anunciaram que estão estruturando um programa de sustentabilidade financeira para amparar os trabalhadores que tiveram suas rendas afetadas.

Muitos deles têm atuado como mototaxistas e entregadores, tanto para complementar os rendimentos, como para garantir que moradores tenham acesso aos produtos que precisam sem ter que sair de casa.

Até o momento, as doações recebidas pela Frente da Cidade de Deus estão sendo enviadas para as contas bancárias pessoais de alguns integrantes. Mas, o gabinete estuda a criação de uma vaquinha virtual para dar continuidade às ações.

 

Apoio ao empreendedorismo criativo

O Lá da Favelinha é um centro cultural no Aglomerado da Serra, em Belo Horizonte, que incentiva o empreendedorismo criativo e comunitário. Coordenado por Kdu dos Anjos, o projeto também promove educação, cultura e desenvolvimento para crianças e adolescentes da comunidade.

O centro cultural possui uma marca própria de moda sustentável, o Remexe. Para geração de renda, a instituição promove eventos de dança, palestras e vendas, que também geram visibilidade para moradores do Aglomerado da Serra.

Devido à pandemia do novo coronavírus, a instituição teve as principais fontes de renda afetadas.

Para continuar garantindo o salário dos moradores que atuam na instituição, gerando renda e movimentando a economia da comunidade, foi criada uma vaquinha virtual. A contribuição pode ser mensal, feita através de uma plataforma colaborativa.

 

Auxílio emergencial ao trabalhador informal

As primeiras parcelas do auxílio emergencial para trabalhadores informais e autônomos já começaram a ser pagas. O objetivo é minimizar os danos sociais provocados pela pandemia de Covid-19.

O programa beneficiará trabalhadores informais, autônomos, desempregados e microempreendedores individuais de baixa renda.

A estimativa é que o valor de R$ 600 atenderá mais de 54 milhões de brasileiros, inclusive moradores de favelas e comunidades. Mulheres que são mães e chefes de família poderão receber R$ 1,2 mil por mês.

A tendência é que, com mais dinheiro no bolso, o consumo se eleve e a economia local seja ainda mais fortalecida, garantindo o sustento dos empreendedores e a alimentação das famílias carentes.

 

Produção de máscaras gera renda

O Governo do Estado de São Paulo anunciou uma iniciativa para acelerar a produção de máscaras de proteção e proporcionar renda para mulheres carentes.

Ao todo serão 2 milhões de máscaras confeccionadas por 740 costureiras das comunidades. A previsão do governo é que cada profissional receba até R$ 80 por dia de produção.

O trabalho começou na ETEC (escola técnica) de Heliópolis e deve ser estendido para outras comunidades da capital e região metropolitana do Estado.

 

Bônus: dicas para fortalecer a economia local

Para estimular a compra entre os moradores da comunidade, também existem algumas medidas que os empreendedores podem implementar.

  • Descontos: o estabelecimento comercial pode investir em desconto nos produtos, fazendo algumas ações promocionais e dando descontos para quem mora na região .
  • Brindes: os clientes também podem ser presenteados com brindes no dia do aniversário ou em datas comemorativas. Ou ainda receber um cartão fidelidade que premia os consumidores fiéis com brindes cada vez que eles realizam um número específico de compras.
  • Delivery: outra estratégia é trabalhar com a possibilidade de entrega das compras em casa, sem valor adicional para os bairros vizinhos ou com uma taxa de entrega mais barata.
  • Divulgação: na internet estão disponíveis ferramentas de divulgação poderosas, que ajudam os moradores a conhecer os comércios que estão na proximidades. Por isso, estar presente no mundo online é essencial.

 

Cadastrar sua empresa no Google Meu Negócio, fazer posts em redes sociais com fotos e descrições dos produtos e enviar mensagens e vídeos no WhatsApp ajudam bastante nesse sentido.

Como reforço na comunicação, estão os cartazes, panfletos e a aposta em divulgação na rádio local.